quarta-feira, 6 de junho de 2012

Palestra na Etec, em Araçatuba




A convite das professoras Gianni Coffacci e Karina Vecchi Cardoso, estive ministrando a palestra "A importância da leitura de jornais" na ETEC - Escola Técnica Estadual do Centro Paula Souza, de Araçatuba, no último dia 04 de junho. Logo cedinho, por volta das 7h30, falei para aproximadamente 120 estudantes, da 1a. à 3a. série. Foi maravilhoso! Eles ouviram com atenção, participaram e perguntaram, e ao final, ainda fui convidada para ajudar na implantação do jornal escolar. Será um prazer!





Fotos: Alexandre Souza/Folha da Região



Abordar a importância da leitura de jornais e dos veículos de comunicação em geral é uma tarefa árdua, especialmente quando o público é 'nativodigital' e está muito mais acostumado a postar mensagens de 140 caracteres em microblogs ou curtir e compartilhar textos prontos nas redes sociais.
Mas é justamente este desafio que me move todos os dias. E sei que não estou só. Por trás de mim há um time na ANJ (Associação Nacional de Jornais) e na própria Folha da Região, empresa que aposta no projeto que coordeno, o Ler para Crescer. 


Voltarei na ETEC de Araçatuba nas próximas semanas. As turmas que não participaram da palestra, mas ouviram comentários dos amigos, agora também querem saber como a leitura diária de jornais (e a compreensão exata das notícias nos noticiários de TV e internet) pode ajudar na escola e no mercado de trabalho. Como este hábito pode ser um aliado no sucesso escolar, profissional, mas especialmente pessoal. Estou pronta para ajudar! 

terça-feira, 3 de abril de 2012

Dicas de Livros


Relançamentos da Fundação Perseu Abramo:

Mídia: Teoria e Política

LIMA, Venício Artur de

Um sólido estudo englobando desde as teorias da comunicação até um olhar crítico sobre o processo de privatizações das comunicações no país. O autor também analisa o papel da televisão na política brasileira e apresenta conceitos para a compreensão da centralidade da mídia no mundo contemporâneo. Fundação Perseu Abramo.

 
O Brasil privatizado

Um balanço do desmonte do Estado
BIONDI, Aloysio

Como se construiu o mito das privatizações? Quais os grupos beneficiados? Por que o Brasil ficou mais pobre depois delas? Um dramático balanço - fartamente documentado - dos resultados que a política de privatização deixou para o país na área social e econômica. Indicado para o Prêmio Jabuti 2000.

 
Brasil: Mito Fundador e Sociedade Autoritária

CHAUI, Marilena

Como foi construído o mito fundador do Brasil, de 1500 aos nossos dias? Que papel essa idéia desempenha como fator de coesão e de coerção social? No momento em que o país é incitado a festejar os seus 500 anos, há realmente o que comemorar? Essas são algumas questões apresentadas por Marilena Chaui neste livro. Indicado para o Prêmio Jabuti 2001

terça-feira, 13 de março de 2012

Desafio - Escrever sobre si mesmo: o pior dos pesadelos?

Primeira noite de aula no 3o. semestre do curso de Comunicação Social - Jornalismo do Centro Universitário Toledo. Apresentação do plano de ensino da disciplina Jornalismo Informativo. Atividade motivadora (para conhecer a turma). Eles tiveram 15 minutos para simular uma entrevista coletiva com a professora (eu) e depois escrever um breve perfil. Simples? Sim, foi. Mas este foi só o "esquenta". O desafio foi como 'tarefa' pra casa: pensar e escrever o próprio perfil. Com vocês: Lenara Daniane Santos Mota.

Congresso Internacional de Jornalismo Cultural: E eu aqui tão longe, de novo

*Só pra passar vontade. As inscrições estão encerradas. preparem-se para 2013!

O 3º Congresso Internacional de Jornalismo Cultural reúne acadêmicos, jornalistas, escritores e artistas para um debate sobre a realidade cultural e seus possíveis caminhos, e tem por objetivo suscitar reflexões em torno da produção cultural contemporânea e do exercício do jornalismo cultural em várias mídias.


A cultura, conceito amplamente empregado em diversas disciplinas intelectuais e em sistemas distintos de pensamento, subjaz à ideia de vida coletiva e está relacionada à produção e à transmissão do conhecimento. Dentre os papéis da imprensa estaria o de tornar acessível a cultura em suas diversas acepções, proporcionando um espaço democrático de discussão a partir dos mais variados pontos de vista.

Em quatro dias de programação, convidados estrangeiros e brasileiros abordarão temas ligados às relações das linguagens artísticas com o jornalismo, além de questões como responsabilidade da imprensa, o papel da televisão no âmbito da cultura, a formação para a carreira jornalística, a relevância das mídias digitais, entre outros.

Palestrantes: Alcir Pécora, Alexandre Matias, Angélica de Moraes, Camille Paglia, Carlos Vogt, Eduardo Saron, Enrique Vila-Matas, Esther Hambúrguer, Fabio de Souza Andrade, Felipe Hirsch, Hector Babenco, Héctor Feliciano, Ignácio Loyola Brandão, Isabela Boscov, Ismail Xavier, Ivald Granato, Jefferson Del Rios, Jon Lee Anderson, Julián Gorodischer, Laura Greenhalgh, Marcia Tiburi, Marco Antonio Rodrigues, Noemi Jaffe, Omar Barreto Lopes, Otavio Frias Filho, Pablo Miyazawa, Paulo Werneck, Pedro Juan Gutiérrez, Ricardo Calil, Robinson Borges, Rodrigo Lacerda, Roger Chartier, Silas Martí, Slavoj Zizek, Sylvia Colombo, Valter Sales, Vitor Ortiz, Werner Herzog, Zeca Baleiro e Zico Góes.

Mediadores: Alcino Leite Neto, Frederico Barbosa, Gunter Axt, Ivan Giannini, Joel Pizzini, José Augusto Camargo, Juliana Monachesi, Kathrin Rosenfield, Leonardo Brant, Luiz Zanin, Marcos Flamínio Peres, Marcus Preto, Marta Colabone, Mauro Ventura, Oswaldo Mendes, Paulo Roberto Pires, Raquel Cozer, Rodolfo Carlos Martino, Vladimir Safatle, Welington Andrade e Xico Sá.


E eu aqui tão longe...


Pollyana Ferrari participa de debate sobre contexto jornalístico

Dia 2/4, às 19 horas, a professora Pollyana Ferrari (Depto. de Jornalismo) participa do debate O Contexto Jornalístico. O evento, promovido pela editora Contexto, acontece na Livraria Cultura do Conjunto Nacional (av. Paulista, 2073, Bela Vista). A inscrição para participar do evento será por ordem de chegada e na ocasião será sortear uma coleção com todos os livros de jornalismo da editora. Informações: (11) 3832-5838.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

O “internetês” e a sala de aula

Muito interessante. Vale muito a pena ler:


Por: Gustavo Vieira - Blog Tecnosfera/Jornal O POVO

A forma de escrita abreviada utilizada em programas de mensagens instantâneas e nas redes sociais – o “internetês” – se tornou bem popular entre os jovens e, por isso, coloca mais um desafio para os educadores: qual deve ser a postura do professor diante dessa linguagem? O uso excessivo das abreviações pode prejudicar o aprendizado? A professora Cristina Jucá, responsável pela sala de multimeios do Centro Educacional Piamarta Aguanambi, diz que não. “Até acho que ajuda”, argumenta. “A meninada é ‘esperta’ e distingue o que é ‘internetês’ e o que é a norma culta”. Será? O educador Cardos Eduardo Silva concorda e diz que é raro o aluno levar para a sala de aula a linguagem utilizada na Internet. Ele é professor de produção textual das escolas Cícero Nogueira e Eudoro Corrêa. “Os alunos do ensino médio, por exemplo, são mais atenciosos, porque querem tirar uma boa nota no Enem”, revela. E se acontecer? “Eu destaco no texto o termo que foi escrito e escrevo uma observação sobre a diferença da escrita que pode ser utilizada na internet e dos procedimentos que precisam ser seguidos em relação a um texto que cobra a norma culta da língua”, conta.

Para esclarecer melhor o assunto, conversei por e-mail com Erika Bueno, coordenadora pedagógica da Vitae Futurekids/Planeta Educação, empresa que atua na área de educação e tecnologia. Ela explica o que é certo e o que é errado, revela quais são os erros ortográficos mais comuns e discute o papel do professor em relação a temática.

Biblioteca comunitária: você pode ajudar?


Minha entrevista na segunda-feira, dia 31 de janeiro, para a jornalista Alessandra Nogueira no programa Cidade Aberta, do Canal 21 - Net Cidade e Rádio Cultura, sobre o projeto de implantação da biblioteca comunitária organizada pelo Vem pra Rede/Ler para Crescer




segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Concurso Tim Lopes de Jornalismo - Animem-se!

Caros alunos,
Muitos, muitos de vocês têm competência para entrar neste concurso e vencer.
Eu ajudo! Vamos, animem-se:

Estão abertas até 15 de fevereiro as inscrições para a décima sexta edição do Concurso Tim Lopes de Jornalismo Investigativo. Podem participar profissionais, estudantes e professores de comunicação. Para concorrer, é preciso enviar propostas de reportagens sobre o tema "Imprensa e sociedade aliadas no enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes".
As melhores ideias serão premiadas com uma bolsa de apoio para o desenvolvimento das matérias. Os valores vão de R$ 10,5 a R$ 16 mil. Ao final, o jornalista responsável pelo trabalho também leva um prêmio de R$ 3 mil.
A proposta deve apresentar uma pauta detalhada, com justificativa, roteiro de produção, fontes de informação, gastos, entre outras informações.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Jornalismo no mundo da moda: técnicas de reportagem e redação


Atenção pessoal, jornalismo especializado:

Objetivos
• Apresentar o universo da moda para o profissional da comunicação.
• Capacitar o profissional para atuar em mídias (na imprensa ou no ambiente corporativo) relacionadas ao mundo da moda.
• Estabelecer comparativos entre as linhas editoriais das principais revistas femininas do país à venda nas bancas.
• Apresentar as técnicas e o status do jornalismo de moda.
• Analisar os processos de produção (pautas, reportagens e linguagem) a partir das estratégias editorias.
• Discutir o papel do jornalista como mediador na produção dos conteúdos.