terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Para conhecer

Uma pessoa querida me disse, assim que soube do blog, que eu deveria me mostrar mais, postar "coisas" minhas para que as pessoas me conhecessem melhor.

Não é esta minha intenção principal. Mas pensei: se quero a participação dos colegas, com textos, preciso começar...

Então segue o primeiro, escrito há algum tempo, quando redescobri valores e modifiquei minha vida. Na busca pela minha "trilha do sol", fiquei certamente mais pobre, mas infinitamente, mais feliz.

Entendam o porquê:

Suicídio homeopático

Sabe o que é suicídio homeopático?
É madrugar, apressado, todos os dias da semana, engolir o café preto e frio, sair mastigando o pão amanhecido enquanto engata a marcha no carro que vai parar a poucos quarteirões.
É abrir a porta do carro, pedir para o filho saltar depressa na frente da escola sem tempo para um beijo ou uma palavra com os educadores - só para saber se realmente vai tudo bem e não se assustar nas reuniões de pais e mestres.
É chegar no serviço atrasado para bater o cartão e trabalhar por horas a fio sem levantar os olhos da mesa, oculto por pilhas de papéis burocráticos, palavras e números sem fim porque a competitividade exige.
É fazer descer, sem mastigar, o lanche que deveria ser almoço ou a marmita fria para dar tempo de voltar ao trabalho e dar conta do serviço, e ficar feliz ao final do mês se vier o salário, que sempre é mínimo. É “vestir a camisa” e fazer hora-extra e esquecer a família, amigos, lazer...
Suicídio homeopático é chegar em casa tão esgotado todos os dias que a única vontade é se desligar ligando a TV e quanto pior o programa, melhor, porque não faz pensar.
É dormir de cansaço, sem rezar.
É usar o sábado e o domingo para encher os supermercados porque durante a semana não deu tempo de fazer a compra.
É lavar, passar, cozinhar, fazer congelados porque a segunda-feira já vem.
Suicídio homeopático é o que alguns chamam de modernidade!
Mas há uma saída...

9 comentários:

  1. Muito bom professora! O texto é mto envolvente, eu fiquei muito penetrada enquanto lia.

    Bjs,

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Fabrícia!
    Apareça sempre e já estou esperando a sua contribuição!

    ResponderExcluir
  3. Belíssimo texto!!!!
    Blog cada vez melhor Ayne!!!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Sempre cada vez mais simplesmente e terrivelmente inteligente. Cada vez que vejo suas aulas e seus textos, mais me encanta.
    Bjos neila

    ResponderExcluir
  5. Nossa ayne, cada vez que eu assisto suas aulas e vejo seus textos fico mais encantada com você. Simplesmente e terrivelmente inteligente.
    Esse texto parece que voce esta falando de todos mas ao mesmo tempo de cada um, de uma só vez.
    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Neila e Diuân, com o apoio de vocês até vou me aventurar mais. Mas também quero ter textos de vocês aqui. Quem vai se arriscar primeiro?

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Olha, Ayne... Deus me livre de passar um por um suicídio como esse heheh Sabe que agora lendo esse texto, consegui me espelhar no que me aconteceu qdo eu morei em SP: horrível e não conseguia enxergar absolutamente nada disso do que foi descrito. Enfim, nunca é tarde pra acordar pra vida, às vezes. rs Gostei do texto. Parabéns!

    ResponderExcluir
  9. Engraçado que enquanto eu lia o texto, não só me prendia a atenção, mas o mais curioso é que na velocidade em q o li, consegui ver um filminho, como se fosse um curta metragem, as cenas eram visíveis e tudo mais rsrs Legal!!

    ResponderExcluir