quarta-feira, 6 de maio de 2009

A foto


Durante uma das aulas sobre as convergências (e divergências) entre o texto jornalístico e o texto literário, propus que os acadêmicos do 7o. semestre treinassem uma redação criativa a partir de uma foto premiada (já postada anteriormente neste blog). Eles deveriam utilizar-se das informações captadas pela lente do repórter fotográfico (ganhador de prêmio internacional pela imagem) e escrever um texto que fugisse do modelo hegemônico de lead e pirâmide invertida. O exercício abaixo é da acadêmica Dayane Castro, uma das minhas apostas na profissão.

Uma foto

O dia nublado parece uma guerra entre céu e terra. Um rosto e 21 pernas identificam o paredão de homens, sem sombra, da Polícia Militar. No chão, onde pisam as pernas grossas munidas de joelheiras e coturnos pretos, foi deixado um rastro de outras pernas menores, sem joelheiras e coturnos, sem proteção. Essa terra tem a cor do ouro mais caro e da disputa mais injusta. Como espartanos, protegiam-se com a fraternidade de seus escudos e varriam o que houvesse por vir...uma mulher ameaçada pelo cacetete do único homem cujo rosto está amostra. É uma índia da Amazônia, do Brasil. Suas pernas estão quase descobertas por uma saia colorida, seus pés pisam o chão calçados por um chinelo de dedo. São homens e mulher. O que ela segura não é um escudo, mas lhe serveria como. O que ela segura, meu Deus, é uma criança! Ela está nua, vestida apenas por uma sandália, protege-se no colo estreito da mãe.
A foto.
Um jornalista premiado.

3 comentários:

  1. Perfeito!!! Admiro muito a Dayane, ela é muito inteligente.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom! A imagem, já se autotraduz. Mas somada ao belo texto, torna-se mais enriquecida!

    ResponderExcluir
  3. Se tivesse um jornal, contrataria esta acadêmica; mas desde que a Editora fosse a Professora Ayne, que faria ótimas pautas, trabalhos, análises e reportagens, como a que foi realizada acima. Abraços e parabéns!

    ResponderExcluir