quinta-feira, 4 de junho de 2009

Capa digna de prêmio sim!

Essa é aquela típica situação de que quando uma coisa é boa, precisa ser divulgada. A jornalista Alessandra Nogueira alertou o jornalista José Marcos Taveira, que estampou em seu blog. Reproduzo aqui, com todos os créditos, para que outros leitores possam ter acesso a essa obra de arte que foi a capa do jornal Diário de S.Paulo quando da divulgação do mais recente acidente aéreo com o avião que saiu do Brasil a caminho do França, mas não chegou ao seu destino. Vejam só e comentem:

6 comentários:

  1. Realmente criatividade e jornalismo ao extremo. Uma comunicação escrita e fotográfica. Simplicidade misturada com riqueza de informação. Diagramação respeitável e comunica (prioridade da informação) o que a notícia vai passar. Chamativa, vendável(já que não "vivemos" sem isso) e com certeza merecedora de prêmios.

    Por Lilian Castilho (coloquei anônimo porque do outro jeito não estava indo)

    ResponderExcluir
  2. Raiany Guimarães5 de junho de 2009 09:38

    Perfeita essa capa, nada melhor que unir uma foto com uma boa diagramação, estética mais informação. Esses dois elementos foram fundamentais na idealização dessa capa.

    ResponderExcluir
  3. ::: Muito linda, muito criativa mesmo, Ayne! E tenho certeza que estará concorrendo no próximo Esso. Abração!

    ResponderExcluir
  4. Oi professora! Gostei muito dessa capa também! Muito criativa, muito chamativa...perfeita! Bjus

    ResponderExcluir
  5. Obrigada pelos elogios. Foi um grande prazer ter feito essa capa por ter conseguido tratar com sensibilidade uma tragédia desse porte.
    Abraços,
    Renata Maneschy
    Editora de Arte / Diário de S. Paulo
    http://rmaneschy.multiply.ccom

    ResponderExcluir
  6. Renata,
    Que prazer tê-la conosco no "Mundo dos jornalistas". Foi o Zé Marcos, professor de online, quem chamou nossa atenção para o seu trabalho. Mas aproveitamos seu material de forma multidisciplinar e os alunos ficaram maravilhados.
    Parabéns!!! Seu trabalho é um exemplo que mesmo a rotina do pão-nosso-de-cada-dia é incapaz de "matar" o artista que há em cada um de nós.

    ResponderExcluir