segunda-feira, 22 de junho de 2009

Fim do diploma 8: A regressão do jornalismo


O texto agora é do acadêmico Ivan Ambrósio (a esquerda), do 7o. semestre de Jornalismo do UniToledo, estagiário nas redações da região.

No dia 17 de junho de 2009, o Jornalismo e seus apaixonados na profissão tiveram um dos piores golpes: a não obrigatoriedade do diploma.

O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu, por 8 votos a 1, que é inconstitucional a obrigatoriedade do diploma em curso superior específico para o exercício da profissão de jornalista no Brasil, ou seja, qualquer pessoa, independente de sua formação que esteja apta em escrever nos jornais, revistas ou blogs, falar bonito no rádio ou na TV, seja considerado como jornalista.

Os sete bobos da corte suprema, acompanhados de seu chefe, o "excelentíssimo" (se é que podemos chamá-lo assim) senhor Gilmar Mendes, presidente dotado de irracionalidade e falta de profissionalismo, barraram e acabaram com as esperanças dos brasileiros de ter uma imprensa digna, capacitada e comprometida com os problemas da população, tornando-se o porta-voz. Apenas o ministro Marco Aurélio Mello, a única voz sensata daquele Supremo, votou a favor do diploma, afirmando que o jornalista deveria "ter uma formação básica que viabilize a atividade profissional, que repercute na vida do cidadão em geral".

Enfim, os "senhores" ministros afirmaram em sua opiniões que não levam a sério o trabalho do jornalista, que às vezes os incomodam, mostrando a verdade e os "erros" drásticos que eles cometem, sendo estes diplomados, com respeito a leis e julgamentos, favorecendo as classes mais altas.

Finalizando esta postagem, faço das palavras do presidente da Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas), Sérgio Murillo, as minhas palavras sobre a atitude do ministro Gilmar Mendes e seus sete bobos da corte suprema derrubando a obrigatoriedade do diploma para Jornalista:

“É um contrassenso. A sociedade exige profissionais extremamente especializados. Lamento que o Supremo tenha andado na contramão. Mas tenham certeza que nem o jornalismo e nem a nossa categoria vão desaparecer”. Agora é o momento de todos nós, jornalistas diplomados e estudantes de Jornalismo, nos unirmos e mostrarmos a todos que jornalista pautado na ética, seriedade e compromisso com a população é jornalista com diploma!

Um comentário:

  1. Oi, Ayne. Da uma passadinha no meu blog, o qual tem uma nova cara. Abração

    ResponderExcluir