segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Enade

E eu que pensei que não viveria pra ver o dia em que as pessoas desejariam outra coisa que não fosse a esquerda no poder...

Enade: jornais 'inventam fatos' e 'manipulam notícias'
Sérgio Matsuura no Comunique-se

Os estudantes de Jornalismo que realizaram a prova do Enade neste domingo (08/11) depararam com críticas à atuação da imprensa. Uma das questões discursivas dizia que os jornais “inventam fatos” e “manipulam notícias”. A prova pedia que os estudantes comparassem as linhas editoriais de jornais populares com os de grande porte. O texto da pergunta dizia o seguinte:

“Jornal popular, geralmente criticado por ser sensacionalista, inventar e/ou omitir fatos e preocupar-se apenas em faturar, aumentar a tiragem, publicar notícias irresponsáveis, atrair e agradar certo público-leitor. (...) Jornal de grande porte, considerado mais responsável, por vezes esquece o verdadeiro interesse pela informação, manipulando a notícia em favor de outros interesses empresariais, financeiros, comerciais, etc. E, assim, pode incorrer em muitos erros”, dizia a questão número 38.

A jornalista recém-formada Rafaella Javoski foi uma dos cerca de 76 mil estudantes de Jornalismo convocados para realizar a prova. Para ela, a questão é “estranha”. “Eu acho que existem jornais populares, que são sensacionalistas. Mas que inventam fatos, não. Eu achei estranha a pergunta”, diz.

Para o professor Nilson Lage, a pergunta é uma “idiotice” e uma “generalização típica de quem não é do ramo”. “É semelhante a: políticos são ladrões; advogado de bandido é bandido (...). É outra idiotice do tipo ‘se algum é, então todos são’”, avalia.

Lage não poupou críticas à prova aplicada pelo Ministério da Educação (MEC). Em sua opinião, as 12 primeiras questões “são pura imposição ideológica”. “Cada uma das afirmações dadas como corretas representa uma posição da esquerda reacionária que pretende dominar a consciência das pessoas reproduzindo métodos nazistas e stalinistas: punir quem não concorda, até que o sujeito aceite para não ser punido e termine aderindo. O método do açúcar e chicote”, avalia.

Outra pergunta polêmica foi a que questionava as críticas feitas pela imprensa sobre a declaração do presidente Lula, que classificou a crise econômica como uma “marolinha”. Entre as opções de resposta estavam “irresponsabilidade” e “manipulação política da mídia”. A resposta correta era “livre exercício da crítica”.

O MEC ainda não se manifestou sobre o conteúdo das questões, mas, no Manual do Enade 2009, o ministério informa que o exame é desenvolvido com o apoio técnico de comissões compostas “por especialistas de notório saber, atuantes na área, responsáveis pela determinação das competências, conhecimentos, saberes e habilidades a serem avaliados”.

3 comentários:

  1. Na área do Direito também não foi diferente. Até Júlio Verne foi colocado! Não entendi por que até agora!!?

    ResponderExcluir
  2. Será que o pessoal do governo é especialistas em Jornalismo para terem elaborado a prova?

    Ainda bem que não tive que fazer essa provinha esquerdista.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Agora que tive espaço em uma escola de línguas, dou-me ao luxo de traduzir. Atenção ao último parágrafo:

    Manual: Significa que existem regras, métodos, que, se alguém os leu, deveria entender que eram os que deveriam ser seguidos (Ou o que determinaram como certo).

    Especialistas: Especial não significa melhor, obrigatoriamente, mas significa específico. se há especificidade, não há espaço para abrangência ampla ou variada. O especialista é bom porque mexe só com isso ou aquilo. Se fosse bom em tudo, seria um oráculo.

    Comissão: Significa que estão em maior número e fiscalizarão. Se um ceder, outros estarão lá para lembrá-lo do propósito. A ovelha que se desgarra geralmente vai para o altar.

    Apoio técnico: não é espiritual, não é emocional, não é filantrópico. É técnico. E técnicas são específicas de gêneros. Se é livre, não é técnico.

    De Notório Saber: Se é notório, significa que DEVE ser conhecido. E se estão declarados, o indivíduo que se submete a tal crivo deveria estar ciente da atuação deles.

    Atuantes na Área: Significa que é a eles que dão ouvidos agora.

    Responsáveis pela determinação: Precisa explicar "determinação"? Se é determinado, adiantaria alguém tentar convencer do contrário ou do diferente?

    A serem avaliados: Significa que não apenas somarás pontos, mas verificarão tuas idéias, tendências, propensões, riscos oferecidos. A maneira como se articula o conhecimento proposto, ou seja, a informação-base, é analisada e não só comparada a uma tabela de referências numéricas.

    Moral da História: Se há um manual e seus avaliadores declaram especificidades, saiba onde estará pisando.

    Henrique Perama

    Beijão de saudade!!!!! Que falta me faz aquele quintal!

    ResponderExcluir