sábado, 28 de março de 2009

Jornalismo público virou privado

Uma corrente de estudiosos define como sendo jornalismo público toda atividade jornalística que serve aos poderes públicos como o Executivo, o Legislativo e o Judiciário. Dentro deste conceito, a publicação oficial do TCM - Tribunal de Contas do Município encaixaria-se como veículo de comunicação público.
Pois bem, foi neste diário oficial que os conselheiros do TCM de São Paulo bajularam a filha do conselheiro Maurício Faria. Ela foi aprovada em primeiro lugar no vestibular para a Faculdade de Direito da USP - Universidade de São Paulo. Junto com o texto foram publicados gráficos com quadros do desempenho na Fuvest e a foto da caloura Gabriela Lopes Pinto. Não bastasse, o vice-presidente do TCM, Eurípedes Sales, defendeu a publicação: "Que esta página do Diário Oficial sirva de alavanca para a Gabriela no desempenho de sua vida futura".
Não é preciso ser cientista político para saber que a publicação oficial foi usada dentro da velha tradição deste pais de se confundir o público com o privado. Como diria o colega Bóris Casoy: "É uma vergonha!"

Imprensa britânica condena declaração de Lula


A imprensa britânica deu destaque ontem, dia 27 de março, à declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que a crise financeira mundial teria sido causada por "gente branca de olhos azuis". A declaração foi feita na quinta-feira, dia 26, ao premiê britânico Gordon Brown, que estava em Brasília para alinhavar um acordo internacional que beneficiaria o Brasil na reunião do G20, grupo que reúne representantes dos países ricos e dos principais emergentes. Segundo os veículos de comunicação da Inglaterra, o premiê se sentiu "constrangido" e pode não anunciar uma proposta de injeção de 100 bilhões de libras (326 bilhões de reais) de financiamento para impulsionar o comércio mundial. Precisa comentar?