terça-feira, 23 de junho de 2009

Fim do diploma 13: alguém tem noção


Ministro da Educação defende cursos de graduação em jornalismo

Da Redação do Comunique-se

O ministro da Educação, Fernando Haddad, defendeu a necessidade de bons cursos de graduação em jornalismo, apesar da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de acabar com a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão. Em sua opinião, o mercado de trabalho não espera a extinção do campo, mas um aumento na qualidade.
“O jornalismo é um dos pilares da democracia, não podemos desconsiderar as especificidades do exercício da profissão. Mais do que habilidades e competências, um curso de jornalismo deve trabalhar os valores da prática jornalística, preparar bem o profissional que fará a intermediação da informação para o público”, afirmou Haddad, na última segunda-feira (22/06), durante a assinatura de portaria que modifica as normas para credenciamento e avaliação dos cursos de mestrado profissional.
A portaria normativa abre espaço para novas possibilidades de trabalhos de conclusão de curso, além da dissertação. Também permite que profissionais reconhecidos possam dar aulas mesmo sem o título de mestrado ou doutorado. As medidas buscam transformar a pós-graduação lato sensu num mestrado voltado para o mercado profissional. Para o ministro, o jornalismo deve ser uma das áreas mais beneficiadas pela mudança.
“Com a decisão do Supremo Tribunal Federal, o mestrado profissional em jornalismo deve ganhar força”, afirmou.

Fim do diploma 12: Convite


Recebi o e-mail de jornalistas amigos. Vou contribuir com a divulgação. Embora não concorde com algumas ideais do manifesto, só a possibilidade de irritar o Gilmar Mendes já me atrai.

Sai fora, Gilmar Mendes

Na quarta-feira, 24 de junho, a partir das 18h, acontece manifestação nacional pela
saída de Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal (STF). E, desta vez, somam-se outros setores sociais que não mais suportam calados tantos desmandos nos poderes da República.
As manifestações serão promovidas pelo Movimento Saia às Ruas, uma mobilização
que reúne cidadãos de todas as classes sociais, religiões e idades, todos unidos por um país justo.
Nos últimos meses, o Brasil tem sofrido várias derrotas e retrocessos em termos de garantia de direitos, sem se dar conta de que algumas das conquistas mais nobres
estão sendo ameaçadas. O STF, na gestão do pecuarista e empresário Gilmar Mendes,
resolveu fazer o jogo sujo que sempre é visto no Congresso desmoralizado por Sarney,
Renan Calheiros, Jáder Barbalho, Maluf, ACM e outras pragas da vida política.
O povo sofre porque a Justiça trata pobres e ricos de maneira desigual. Nota-se que os privilégios de classe e o preconceito contra os movimentos sociais persistem na mais alta corte do Brasil. O povo é traído por quem deveria zelar pela – e não destruir - a democracia.
Ao libertar o banqueiro Daniel Dantas e criminalizar os movimentos populares, o
pecuarista e empresário Gilmar Mendes revela a mesma mentalidade autoritária contra a qual uma geração inteira de militantes e trabalhadores que lutou, com o objetivo de derrubar a ditadura civil-militar que sufocou o país entre 1964 e 1985.
O Brasil já não admite a visão achatada e conservadora da lei, aplicada acriticamente para oprimir os mais fracos. O povo já não atura palavras de ordem judiciais – como “Estado de Direito”, “devido processo legal” ou
“princípio da legalidade” – apresentada como se fossem mandamentos divinos para
calar o povo. Já não há espaço no Brasil para um Judiciário das elites, um Judiciário das desigualdades.

MANIFESTAÇÃO EM BRASÍLIA:
Local: Praça dos Três Poderes, em frente ao Supremo Tribunal Federal STF
Hora: a partir das 18h, em três capitais brasileiras,

MANIFESTAÇÃO EM BELO HORIZONTE:
Local: Rua Goiás, 226, Centro;

MANIFESTÇÃO EM SÃO PAULO – SP:
Local: Avenida Paulista, 1842 (Prédio do TRF-3).

Informações:
Brasília: saiagilmar.an@gmail.com,
(61) 8567-9482
Belo Horizonte: laurafurquim@gmail.com
São Paulo: saiagilmarsp@gmail.com

Fim do diploma 11: mensagens de solidariedade

Recebi de amigos, colegas professores, as seguintes mensagens que demonstram o reconhecimento pela nossa profissão, por isso divido com vocês como forma de incentivo.

FIM DO DIPLOMA
por Prof. Manoel F. dos Santos Jr. - segunda, 22 junho 2009, 06:55

Amada e estimada Ayne,

De modo algum poderia me furtar de tomar posição e deixar minha indignação com a decisão do STF. Cônscios que a importancia do Diploma extrapola a simples qualificação em nível de graduação, vindo a demonstrar desde o início comprometimentos com a garantia mínima de saberes como ética, cultura, cidadania, técnicas de redação e linguagem dentre tantos outros conquistados nos bancos da Universidade que o simples fato de ter uma "vocação" não pode contemplar. Isto sem abordar as razões que levam algumas das grandes 'empresas' de mídia a apoiar tão descabida decisão.

É com tristeza que vejo um setor tão importante de nossa sociedade, se tornar um "território de ninguém", onde vem confundir termos como "todo mundo" com "qualquer um". Mas resta a esperança de que o próprio mercado de trabalho venha fazer a distinção e selecionar os verdadeiros PROFISSIONAIS da Comunicação.

Abraços solidários



Re: FIM DO DIPLOMA
por Profª. Rosa Maria Alves da Silva - segunda, 22 junho 2009, 10:09

Ayne

Fiquei decepcionada com essa medida. Parece que o poder judiciário não está satisfeito com a própria desvalorização e desencadeia a desvalorização de outras profissões também. Sabedores da influência significativa que o jornalismo exerce , precisamos protestar contra esse desmando.

Profa. Rosa Maria