quinta-feira, 25 de junho de 2009

Minha próxima visita


Instituto Vladimir Herzog inaugurado

O Instituto Vladimir Herzog foi lançado hoje (25/06) na Cinemateca, em São Paulo. A iniciativa é de familiares e amigos do jornalista, assassinado em 25/10/1975, pelo regime militar.

O instituto reúne acervo com fotos, reportagens e outras informações sobre o Herzog. O local será aberto ao público e interessados em pesquisar a vida do jornalista.

Além de disponibilizar dados sobre Herzog, o instituto pretende realizar debates sobre o papel do jornalismo, das mudanças na carreira e das novas mídias.

Acompanhe o regulamento da 31ª edição Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos no site do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo.

Durante o lançamento do instituto houve uma homenagem ao cardeal D. Paulo Evaristo Arns, ao rabino Henry Sobel e ao reverendo James Wright, que realizaram um culto em memória de Herzog logo após a sua morte.

Fim do diploma 14: Tema para Gilmar Mendes


Hoje acordei cantarolando Chico. Há anos isso não me acontecia. Mas não por culpa do Chico. Em "Apesar de você" encontrei minha maneira de "homenagear" o ministro Gilmar Mendes e todos os outros que votaram com ele a favor do fim da obrigatoriedade do diploma para jornalistas. Atenção para a letra:

Amanhã vai ser outro día

Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão, não.
A minha gente hoje anda
Falando de lado e olhando pro chão.
Viu?
Você que inventou esse Estado
Inventou de inventar
Toda escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar o perdão.

Apesar de você
amanhã há de ser outro dia.
Eu pergunto a você onde vai se esconder
Da enorme euforia?
Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar?
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar.

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros. Juro!
Todo esse amor reprimido,
Esse grito contido,
Esse samba no escuro.

Você que inventou a tristeza
Ora tenha a fineza
de “desinventar”.
Você vai pagar, e é dobrado,
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar.

Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Ainda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria.

Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença.

E eu vou morrer de rir
E esse dia há de vir
antes do que você pensa.
Apesar de você

Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia.

Como vai se explicar
Vendo o céu clarear, de repente,
Impunemente?
Como vai abafar
Nosso coro a cantar,
Na sua frente.
Apesar de você

Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai se dar mal, etc e tal,
La, laiá, la laiá, la laiáÂ…Â….