quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Museu da Corrupção

Durante a Semana de Ciências Contábeis e Sistemas de Informação (até a próxima sexta-feira, dia 18), o Centro Universitário Toledo de Araçatuba está hospedando o "Museu da Corrupção", uma coletânea de textos e imagens com os principais escândalos recentes da política brasileira. A coleção é do jornal Diário do Comércio, de São Paulo.
A exposição acontece diariamente, no 1o. andar do prédio 3, e é aberta ao público. Impossível não passar por lá.
Confirma matéria de Kauê Ferraz, da Assessoria de Imprensa do UniToledo:


Uma das grandes novidades da 5ª Semana Acadêmica de Ciências Contábeis é o Museu da Corrupção. A parceria entre o UniToledo e o jornal Diário do Comércio (Associação Comercial do Estado de São Paulo), por meio do presidente da ACIA (Associação Comercial de Araçatuba), Wilson Marinho, viabilizou a vinda do museu para a instituição.

Os acadêmicos podem conferir a exposição, das 19h às 22h, no primeiro andar do prédio 3 até o dia 17, sexta-feira, quando se encerra a semana de Contábeis. Araçatuba é a primeira cidade do interior paulista que recebe a exposição.

No museu, estão expostos vários momentos de corrupção da política brasileira ao longo da história. São painéis que mostram desde o impeachment de Fernando Collor até a “Sarneylândia”, que fala sobre os escândalos envolvendo o senador José Sarney (PMDB-AP). O Mensalão, a Máfia dos Bingos, o escândalo dos Cartões Corporativos e a Operação Satiagraha também fazem parte da exposição.

Os painéis abordam com bom humor algumas questões. Entre elas, está a “Piscina das Mentiras”, na qual são mostradas, dentro de uma piscina, algumas das mentiras mais “cabeludas” contadas por políticos. Outro painel interessante é a “Árvore Genealógica dos Corruptos”, que mostra desde os descobridores do Brasil até o Senador José Sarney.

“Nós trouxemos essa exposição para mostrar os casos de corrupção escandalosos que temos em nosso país. De uma maneira bem humorada, vamos conscientizar a população a respeito desse tema”, ressalta Claudinei Göttems, coordenador do curso de Ciências Contábeis.

Aprovação da mídia é a mais baixa em duas décadas

Pesquisa recente mostra que o nosso trabalho está em baixa. Conheça os motivos lendo a matéria completa publicada no blog do jornalista Luiz Carlos Azenha:http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/indice-de-aprovacao-da-midia-o-mais-baixo-em-duas-decadas/

Então você vai entender algumas das razões de se pensar em civic journalism.

Oficina de civic journalism

Na sexta-feira, dia 18, das 8h às 11h, ministrarei uma oficina de civic journalism durante a programação da 9a. Secomt - Semana de Comunicação da Toledo.
O civic journalism ainda não é um gênero nem uma especialização. Trata-se de um movimento que surgiu nos Estados Unidos - a partir de coleguinhas descontentes com o rumo do sensacionalismo - que propõe repensar os conceitos e o jeito de fazer nosso trabalho.
As inovações vão desde a concepção (informar ou oferecer conhecimento) passando por quem define as pautas (gatekeepers x advocates) até uma liberdade total na produção dos textos que não devem seguir o modelo do lead nem da pirâmide invertida.
O trabalho na oficina da Secomt será dividido em duas etapas: na primeira, a parte conceitual. Na segunda, a parte prática. Os interessados podem procurar a coordenação do curso (karenine.prof@toledo.br) para fazer as inscrições (R$ 10,00). As vagas são limitadas. Estão todos convidados.