quarta-feira, 30 de setembro de 2009

MEC debate novas referências nacionais para cursos de comunicação social

Recebi da profa. Amine as informações abaixo. Reproduzo-as porque são do nosso interesse. Servem para informação, conhecimento e análise de todos nós. E atenção: há possibilidade de opinar até o próximo dia 16. Leiam texto de Margarida M. Krohling Kunsch:

O Ministério de Educação, por meio da Secretaria de Educação Superior – SESu, sob a coordenação geral do Prof. Dr. Paulo Roberto Wollinger, Diretor de Regulação e Supervisão da Educação Superior, e com a participação de especialistas das áreas de conhecimento, iniciou, no ano corrente, a construção dos Referenciais Nacionais dos Cursos de Graduação (Bachalerado e Licenciatura).

A proposta do MEC é acabar com as “habilitações”, transformando-as em “cursos” e reduzir o número excessivo das nomenclaturas vigentes para terminologias específicas dos cursos existentes. Assim, por exemplo, a Comunicação Social é a grande área de conhecimento e as respectivas habilitações ora vigentes se converteriam em cursos.

Para tanto, foram realizados, ao longo deste ano, encontros com especialistas para a elaboração dos memoriais descritivos de cada um dos cursos de graduação. Iniciou-se com as áreas de “Engenharia”, “Ciências Exatas e da Terra”, “Ciências Biológicas e da Saúde”, “Transporte e Logística”, “Turismo, Gastronomia e Hotelaria” e “Informática”. No momento está em discussão a área de “Ciências Humanas e Sociais”.

Em cada encontro, após a apresentação dos participantes, solicitou-se aos especialistas convidados a análise da pertinência de manutenção, compilação e/ou supressão das diversas nomenclaturas dos cursos vigentes. Esses especialistas foram responsáveis pela elaboração dos memoriais descritivos, que deviam conter: o que faz o egresso do curso, os temas a serem estudados no período de sua formação, as áreas de atuação, bem como a infraestrutura necessária à oferta dos diferentes cursos.

De 13 a 14 de agosto de 2009, foi realizado, em Curitiba (PR) o encontro referente às “Ciências Humanas e Sociais”. A área da Comunicação Social esteve representada por professores e especialistas dos cursos de Cinema e Audiovisual, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Radialismo, e Relações Públicas, que elaboraram os respectivos memoriais descritivos. O trabalho dos especialistas da área de Comunicação Social reunidos no encontro resultou na elaboração dos memoriais descritivos de cada curso que destacassem os seguintes itens:

1. Perfil do egresso

2. Temas gerais e específicos de sua formação

3. Área de atuação

4. Legislação

5. Infraestrutura-Laboratórios

Esses documentos encontram-se disponíveis no site do MEC e estão abertos para novas proposições e ajustes até o dia 16 de outubro próximo. É fundamental que nossa comunidade participe desse processo de consultas e envie sugestões.

Ressalte-se que não se trata de novas “diretrizes” para os cursos de graduação, mas sim de “referências”. A elaboração das diretrizes se dará em uma etapa posterior.


--------------------------------------------------------------------------------

Referências do Curso de Graduação em Jornalismo (Bacharelado)

Carga horária mínima: 3.200 horas-aula

1. Perfil do egresso

O egresso do Curso de Jornalismo é o jornalista profissional diplomado, com formação universitária ao mesmo tempo generalista, humanista, crítica e reflexiva. Esta o capacita a atuar como produtor intelectual e agente da cidadania dando conta, por um lado, da complexidade e do pluralismo característicos da sociedade e da cultura contemporâneas e, por outro, dos fundamentos teóricos e técnicos especializados. Dessa forma terá clareza e segurança para o exercício de sua função social específica no contexto de sua identidade profissional singular e diferenciada dentro do campo maior da Comunicação e da atividade jornalística em particular. O jornalista deve ter procedimento de seleção, hierarquização e apresentação dos fatos sociais, pode gerar percepções e interpretações aprofundadas e inovadoras da realidade que sejam, igualmente, capazes de qualificar o senso comum, enriquecendo o universo cultural dos indivíduos. Deve alcançar compreensão e identificação dos fundamentos éticos prescritos para a conduta dos jornalistas profissionais e da atitude de cidadania necessária ao exercício profissional dos jornalistas, a partir do reconhecimento das expectativas e demandas da sociedade em relação ao seu papel social e ao produto da sua atividade.

2. Temas abordados na formação

Área geral de Comunicação

Teorias da Comunicação, História da Comunicação, Estudos de Mídia, Ética e Deontologia da Comunicação, Pesquisa em Comunicação, Tecnologias da Comunicação, Redes Interativas, Políticas de Comunicação, Estudos da Linguagem, Humanidades e Ciências Sociais, Responsabilidade Social, Gestão e Empreendedorismo, Expressão oral e escrita.

Área específica de Jornalismo

Teorias do Jornalismo; História do Jornalismo; Ética em Jornalismo; Metodologias de pesquisa em Jornalismo; Legislação em Jornalismo; Gêneros jornalísticos; Reportagem, entrevista e apuração jornalística; Redação jornalística; Edição em Jornalismo; Fotojornalismo; Planejamento visual em Jornalismo; Radiojornalismo; Telejornalismo; Ciberjornalismo (jornalismo online, jornalismo digital, webjornalismo); Jornalismo impresso; Assessoria de Imprensa; Planejamento de cobertura jornalística; Gestão de organizações jornalísticas; Tecnologias da comunicação, informação e multimídia aplicados à produção jornalística; Realidade Regional em Jornalismo.

3. Áreas de atuação

O profissional egresso dos cursos de Jornalismo atua em empresas jornalísticas no âmbito da redação como repórter, redator, editor, repórter fotográfico, pauteiro; no âmbito do gerenciamento jornalístico como secretário de redação, chefe de redação, diretor de redação, editor chefe, chefe de reportagem.

Nas empresas, instituições ou organizações privadas ou públicas, como assessor de imprensa ou assessor de comunicação; e ainda, no âmbito gerencial como diretor de imprensa ou de comunicação, coordenador de imprensa ou de comunicação.

Em empreendimentos profissionais como gestor de empresas jornalísticas, principalmente na assessoria de imprensa e de comunicação e também como consultor na área de jornalismo e treinamento de mídia.

4. Infraestrutura recomendada

Laboratório de Redação Jornalística; Laboratório de Ciberjornalismo; Laboratório de Telejornalismo; Laboratório de Radiojornalismo; Hemeroteca, Laboratório de Planejamento Gráfico em Jornalismo; Laboratório de Fotojornalismo; Sala de Aula Multimídia; Sala de Multimeios; Agência Experimental de Notícias; Agência de assessoria de imprensa; Webrádio; Webtv; Auditório com recursos multimídia; Biblioteca.

Legislação pertinente

Decreto-Lei 972/69.
Decreto-Lei 83.284/79.
Resolução CNE/CES nº 16, de 13 de março de 2002

Vencedores do Comunique-se

Depois de estimular a votação entre seu público-alvo, o Comunique-se divulgou a lista dos coleguinhas premiados deste ano. Acompanhe a relação abaixo:

Categoria Comunicação
Agência de Comunicação – In Press Porter Novelli
Propaganda e Marketing – Marili Ribeiro, de O Estado de S. Paulo
Profissional de Comunicação Corporativa – Fernando Thompson, da Vale

Categoria Jornalista de Sustentabilidade
André Trigueiro, da TV Globo News

Categoria Jornalista de Cultura
Mídia Eletrônica – Marcelo Tas, da TV Bandeirantes
Mídia Impressa – Artur Xexéo, do O Globo

Categoria Blog
Blog do Noblat

Categoria Jornalista de Tecnologia
Daniela Braun, do IDG Now!

Categoria Correspondente Internacional
Correspondente Brasileiro no Exterior - Mídia Eletrônica – Sonia Bridi, da TV Globo
Correspondente Brasileiro no Exterior - Mídia Impressa – Sérgio Dávila, da Folha de S. Paulo
Estrangeiro no Brasil – Todd Benson, da Reuters

Categoria Repórter
Mídia Eletrônica – Ernesto Paglia, da TV Globo
Mídia Impressa – Elvira Lobato, da Folha de S. Paulo
Repórter de Imagem – Evandro Teixeira, do Jornal do Brasil

Categoria Colunista
Colunista de Notícias – Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo e Rádio BandNews FM
Colunista de Opinião/Articulista – Luis Fernando Veríssimo, do Zero Hora, O Globo e O Estado de S. Paulo
Colunista Social – Sonia Racy, de O Estado de S. Paulo

Categoria Jornalista de Política
Mídia Eletrônica – Lucia Hippólito, da Rádio CBN
Mídia Impressa – Clóvis Rossi, da Folha de S. Paulo

Categoria Jornalista de Esporte
Mídia Eletrônica – Tadeu Schmidt, da TV Globo
Mídia Impressa – Juca Kfouri, da Folha de São Paulo
Locutor Esportivo – Luis Roberto, da TV Globo

Categoria Jornalista de Economia
Mídia Eletrônica – Joelmir Beting, da TV Bandeirantes
Mídia Impressa – Carlos Alberto Sardenberg, de O Estado de S. Paulo e O Globo

Categoria Executivo de Veículo de Comunicação
José Trajano, da ESPN

Categoria Apresentador / Âncora
TV – Renata Vasconcelos, da TV Globo
Rádio – Milton Jung, da Rádio CBN