sábado, 1 de janeiro de 2011

Diário de Bordo - Em Fortaleza

Domingo, 26 de dezembro de 2010

Pensa em uma estrada ruim: é a que liga Sobral à Fortaleza. Muito buraco! Mas é uma exceção. O governo federal fez um trabalho e tanto e deixou as estradas, as BRs, todas recapeadas, bem sinalizadas, na maior parte dos 3 mil quilômetros que já andamos, está tudo parecendo um grande tapete negro.

Entretanto, além do trecho ruim, mais uma decepção: a menos de 100 quilômetros da capital do Ceará, vimos novamente os pedintes da estrada. Eles estão lá, crianças seminuas, mulheres maltratadas pela vida difícil e pelo sol, homens e idosos; todos jogam areia nos buracos para amenizar o impacto certeiro das rodas e, por este trabalho, pedem "dinheirinho". Mas logo tiram a areia para refazerem o serviço para o próximo carro. Arriscam a vida por centavos, quando muito, por um real. Dói na alma.

As cidades entre Sobral e Fortaleza são pequenas, estreitas, correm ao longo da estrada. E sujas, muita terra e muito lixo, jogado, espalhado, fico pensando que uma população que não dá conta do seu próprio lixo tem sérios problemas...Na verdade, eles são carentes de tudo. Mas impressiona muito a sujeira e a falta de higiene. Além de três marcas, que me chamaram muito a atenção durante toda a viagem até aqui. Em todo aglomerado (não dá nem pra chamar de cidade, às vezes) do Nordeste tem Bradesco, Honda e Assembleia de Deus.

Enfim, chegamos em Fortaleza! Capital grande, muito grande, leva-se muito tempo da entrada da rodovia até a orla. Tudo é longe, muito longe. Ainda bem que o GPS não falhou muito porque placas de sinalização são poucas e confusas, e o trânsito é caótico (e com isso ela se parece com São Paulo na hora do rush). A primeira impressão foi ambígua: grande, suja, velha, e ao mesmo tempo, de natureza exuberante, preparada para o turismo, especialmente para quem chega nela de avião e não vê suas mazelas - como o esgoto a céu aberto.

Almoçamos no centro da cidade, adivinha o que? Churrasco. Essa comida as crianças comem bem, mas as demais está sendo uma luta...Do restaurante até a colônia foi um passeio prazeroso, entre monumentos históricos do centro da cidade e o mar, com praias lindas. Ficamos no Sesc Iparana, uma delícia de lugar. Acomodações novas, apartamento amplo e bem ventilado, de frente para a piscina com bar molhado. O barulho do mar era um acalento e a brisa, refrescou a alma. Lugar limpo, bem organizado, com várias opções de lazer para a família e um agradável cardápio. Sem ostentação, porque em um lugar onde falta tanta coisa pra tanta gente seria até um insulto.

Aproveitamos o primeiro dia conhecendo e nos deliciando com o lugar....

Nenhum comentário:

Postar um comentário