sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Jornais: uma nova mentalidade

Em minha dissertação de mestrado, estudei o civic journalism, modelo pouco praticado no Brasil, mas com muitas possibilidades. Esse modelo tem características interessantes (quem quiser, pode ler o trabalho na biblioteca da Toledo ou no site da PUC/SP), uma delas é fazer o veículo participar mais da vida de cada comunidade, nos grandes centros leia-se "bairros".
Esta participação tem o objetivo imediato de ajudar aquele grupo de pessoas a resolver os problemas locais, portanto o jornal deixa de ser informativo para ser "participativo". Dependendo de como isso é feito, há desde o ganho institucional (maior credibilidade) até maior rentabilidade (a comunidade reconhece o trabalho e as assinaturas crescem, a venda de anúncios naquela região também).
Alguns veículos já estão investindo nisso, veja:

Diário de S.Paulo amplia seção 'Bairro a Bairro'


Diário de S.Paulo renova seu layout e inova nas editorias

O DIÁRIO DE S. PAULO – totalmente reformulado, com novo layout e inovadora proposta editorial – estreou no dia 1º de fevereiro a nova seção Bairro a Bairro, ampliada, agora em quatro páginas. Desde o início do projeto, a seção foi planejada para ocupar espaço maior e ser uma espécie de micro-rede de jornais de bairro, com intenso uso de internet tanto na publicação de notas no portal do jornal (http://www.diariosp.com.br/index.php?id=/bairro_a_bairro/index.php) como na busca por informações e fontes, acompanhando as redes sociais para captar as principais preocupações dos moradores em seus bairros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário