terça-feira, 17 de maio de 2011

Caio Carvalho, por um mundo melhor



Os apresentadores e repórteres de telejornais locais me chamavam a atenção. No rádio, a curiosidade era a mesma com os locutores. Sempre tive muita vontade de estar nesses locais, participar daquilo. Nas primeiras séries, a brincadeira preferida era fazer matérias na escola, ao lado de algum voluntário, que eu pedia para segurar a "câmera", construída com caixas de papelão, de sabonete e pasta de dente. No meu quarto de casa, havia até “estúdio”. Os ouvintes eram meus pais, e em dias de festas de aniversário, até os familiares. Sinceramente, não sei de onde vem esse interesse pelo jornalismo. Fato é que sempre gostei. Os anos me mostraram que essa área não é constituída apenas por repórter e espectador. O verdadeiro profissional pode ajudar a construir uma sociedade melhor. Sou apaixonado por fazer jornalismo e esse é um dos sentidos que me move.

Caio Carvalho, aluno do 3o. semestre de jornalismo no Centro Universitário Toledo de Araçatuba

Nenhum comentário:

Postar um comentário