segunda-feira, 23 de maio de 2011

Repórter da Folha da Região participa de bate-papo com alunos de Jornalismo

Por Barbara Franchesca Nascimento
Publicada em 23 de Maio de 2011

Reportagem e notícia. Dois conteúdos jornalísticos relevantes para o conhecimento e formação do leitor, porém, com exigências diferenciadas para cada produção. Com o objetivo de fixar essas diferenças aprendidas durante as aulas de Jornalismo Informativo, ministradas pela professora Ayne Gonçalves Salviano, o repórter da Folha da Região, Hélton Souza, participou de um bate-papo com os alunos do 3º semestre do curso de Jornalismo do UniToledo, na última quinta-feira (19).

Além de apresentar as posturas necessárias ao jornalista para a produção das notícias do dia a dia e de uma reportagem, material mais aprofundado e que exige maior tempo para apuração, Souza dividiu com os alunos suas experiências jornalísticas na cobertura de temas relacionados às áreas de política e polícia, ressaltando também a necessidade dos princípios éticos dentro do exercício da profissão.

“Medo faz parte de qualquer profissão. Porém, primeiramente, temos que verificar o que nos satisfaz, porque, se nos der prazer então valerá à pena correr o risco. Para mim, o princípio do Jornalismo é sempre ser honesto com a sua fonte, porque mesmo que você sempre fale mal dela, ela sempre te respeitará”, afirmou o jornalista aos estudantes.

CONHECIMENTO
Graduado em Jornalismo pela Unifev (Centro Universitário de Votuporanga), Souza já trabalhou nos jornais Diário da Região, de São José do Rio Preto, e A Cidade de Votuporanga. Atualmente, é repórter da Folha da Região, em Araçatuba. Para ele, a atividade realizada no curso é uma forma de sanar as curiosidades dos alunos sobre o dia a dia da profissão.

“Enriquece para eles esse tipo de conversa ainda no ambiente universitário, afunilando assim a preferência deles para as diversas mídias possíveis para o exercício da profissão”, destacou.

A aluna Stefanny Neves de Souza, de 20 anos, considerou a palestra como uma forma de adquirir conhecimentos sobre as exigências do mercado de trabalho. “Como ainda estamos na faculdade, não temos a noção de como é o trabalho. A partir da conversa com ele (repórter) conseguimos ampliar nossa visão e sairemos daqui mais preparados”.

A professora responsável pela disciplina conclui que a atividade proporcionou aos alunos uma oportunidade de observar por meio da experiência prática do palestrante a preparação para a produção da notícia e da reportagem, que são duas práticas distintas, segundo Ayne.

Nenhum comentário:

Postar um comentário