segunda-feira, 5 de setembro de 2011

A jornalista que virou notícia

Por Barbara Franchesca Nascimento para site do Unitoledo


Publicada em 05 de Setembro de 2011

Como os veículos de comunicação podem auxiliar no processo de aprendizagem do aluno, esteja este no ensino infantil, fundamental, médio ou superior? As respostas para esse questionamento foram apresentadas no Encontro Nacional de Coordenadores do Programa Jornal e Educação, do qual a professora do curso de Jornalismo do UniToledo Ayne Regina Gonçalves Salviano participou.

A docente da instituição é também coordenadora do programa de educomunicação “Ler para Crescer”, desenvolvido pelo jornal Folha da Região, de Araçatuba. Entre os dias 17 e 19 de agosto, Ayne teve a oportunidade de, juntamente com outros coordenadores dos projetos desenvolvidos por jornais de todo o País, apresentar durante o encontro, realizado em Salvador, na Bahia, as experiências e resultados do trabalho desenvolvidos na região.

Idealizado pela ANJ (Associação Nacional de Jornais), o programa Jornal e Educação tem como objetivo apresentar o jornal como ferramenta pedagógica e facilitador na aprendizagem do aluno. Para isso, cursos de capacitação de professores são desenvolvidos pelos coordenadores do projeto, além de visitas técnicas e atividades interativas. Dos 150 jornais filiados à entidade, 60 possuem o programa, dentre os quais a maioria estão situados em capitais brasileiras.

De acordo com a jornalista, o evento oportunizou reflexões e considerações necessárias para que cada programa capacite os educadores de sua região, conforme as características e necessidades. Dentre as descobertas feitas por Ayne, sobre os acertos das atividades desenvolvidas pelo “Ler para Crescer”, está o trabalho na educação infantil (conheça as atividades em www.lerparacrescer.folhadaregiao.com.br).

“Tudo que os grandes jornais fazem no programa, nós também fazemos, porém, a atividade com crianças que ainda não são leitoras é uma exclusividade nossa. As professoras leem as notícias para elas, interpretam por meio de teatro e desenhos e assim, elas vão crescendo e entendendo que o jornal é fonte de conhecimento”, explica a docente.

O encontro contou com a participação de nomes consagrados como o professor da UFBA (Universidade Federal da Bahia), Nelson Pretto; da jornalista do Programa Educarede Brasil, Priscila Gonsales; do jornalista do Mais Educação desenvolvido pelo MEC, Leandro Fialho, e do membro da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura/MinC, Kleber da Silva Rocha.




Nenhum comentário:

Postar um comentário