segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Eita profissãozinha difícil!

Número de jornalistas presos é recorde em 14 anos


Comitê para Proteção de Jornalistas informa que o número de profissionais presos no mundo é o mais alto nos últimos 14 anos: 145.

O Comitê para Proteção de Jornalistas (CPJ) informou que o número de jornalistas presos no mundo é o mais alto nos últimos 14 anos, 145 no total. China e Irã são os países com maior quantidade de profissionais em cárcere, com 34 cada, informa EFE. A constante repressão de vozes críticas no Irã e a brutal supressão na China do jornalismo étnico elevaram o número de jornalistas em prisão a seu nível mais alto desde 1996, declarou a organização. Outro destaque do levantamento é a ausência dos Estados Unidos na lista, fato inédito desde 2004.
O número de 145 jornalistas previstos no início deste mês supera os 136 registrados em mesmo período do ano passado. Em 1996, foram contabilizados 185 jornalistas presos devido à repressão da Turquia contra a imprensa curda.
Sobre as detenções norte-americanas, a redução ocorre após a libertação de todos jornalistas presos anteriormente no Afeganistão, Iraque e na prisão de Guantánamo, em Cuba - único país latino-americano citado na pesquisa.
Eritreia (17), Mianmar (13) e Uzbequistão (6) completam a lista dos cinco países com maior número de jornalistas detidos. Países da África e da Ásia são a maioria no levantamento.

(Fonte: Portal Imprensa - WEB - 08/12/10)

Prepare-se!

O primeiro GP Ayrton Senna de Jornalismo foi lançado em março de 1997. Desde então, o Instituto tem premiado inúmeros jornalistas e veículos de imprensa que destacam os problemas e levam ao centro das discussões as soluções para a má qualidade da educação.


Objetivos

O GP de Jornalismo visa estimular e disseminar nas redações o conceito de que a educação é o eixo estruturador de uma sociedade, uma vez que ela tem repercussões em todas as outras áreas. A proposta é que um número cada vez maior de reportagens com foco na educação como via para o Desenvolvimento Humano seja veiculado pelos meios de comunicação.

Como funciona

De abrangência nacional e realizado a cada dois anos, o GP Ayrton Senna de Jornalismo distribui prêmios para repórteres, editores e veículos em cinco categorias: Jornal, Revista, Televisão, Rádio e Internet.
Os trabalhos são analisados em três etapas. Na primeira, profissionais da área avaliam todos os trabalhos e escolhem até 15 por categoria. Na segunda fase, um novo grupo de profissionais escolhe as cinco melhores matérias por categoria. Na terceira e última etapa, os cinco vencedores são eleitos por uma comissão julgadora integrada por jornalistas de destaque nacional, representantes de grandes veículos de comunicação e expoentes da área da educação, além de Viviane Senna, presidente do Instituto Ayrton Senna.
As etapas de seleção e julgamento são acompanhadas por um jornalista consultor e um especialista em educação do Instituto Ayrton Senna.
Saiba mais: http://senna.globo.com/institutoayrtonsenna/

Grande dica!

Dicionário de Jornalismo Juarez Bahia - Século XX


O ‘Dicionário de Jornalismo Juarez Bahia - Século XX’ apresenta 3.400 verbetes que tratam sobre Jornal; Revista; Rádio; Televisão; Livro; Propaganda; Relações Públicas; Marketing; Editoração; Computação Gráfica; Fotografia/Artes Gráficas; Papel; História; Comunicação/Linguagem; Tecnologias da Informação; Produção Cultural; Documentação; Ética e Legislação.

Sobre o autor:

Juarez Bahia foi repórter, redator, editor, correspondente internacional (Portugal, Espanha e África Austral) e editorialista do Jornal do Brasil. Escreveu artigos para o Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e revista Visão, além de ter trabalhado na implantação da TV Cultura, em São Paulo. Foi professor na Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, onde editou a K-Comunicação, a primeira revista-laboratório do País.

Fonte: Editora Mauad X