quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Entrevista para Programa Essencial

De volta ao passado: entrevista para Flávio Zani, quando ele ainda era estudante e eu coordenadora do curso de Jornalismo no Centro Universitário Toledo de Araçatuba. Bom pra relembrar!

Charge: quando não é preciso dizer mais nada

Artigo: A peste

De Luis Fernando Verissimo - Em O Estado de S.Paulo

Dizem que quando os dois estavam chegando a Nova York, na amurada do navio, Freud virou-se para Jung e perguntou:
- Será que eles sabem que nós estamos trazendo a peste?
Não sei se a história, que li num texto do Stephen Greenblatt publicado recentemente na revista The New Yorker, é verdadeira. Nem sei se Freud e Jung estiveram juntos em Nova York algum dia. Mas o que Freud pretenderia dizer com "a peste" é fácil de entender. Era tudo que os dois estavam explorando em matéria de subconsciente, inconsciente coletivo, sexualidade precoce - enfim, a revolução no pensamento humano que na Europa já se alastrava, e era combatida, como uma epidemia. Os agentes alfandegários não teriam identificado o perigo que os dois recém-chegados representavam para as mentes da América, deixando-os passar para contagiá-las.
Todo desafio ao pensamento convencional e a crenças arraigadas é uma espécie de praga solapadora, uma ameaça à normalidade e à saúde públicas. Santo Agostinho dizia que a curiosidade era uma doença. Os que procuravam explicações para o Universo e a vida além dos dogmas da Igreja ou da ciência tradicional eram portadores do vírus da discórdia, a serem espantados como se espanta qualquer praga, com barulho e fogo. As ideias de Freud e de Jung divergiram - Jung acabou derivando para um quase misticismo, literariamente mais rico mas menos consequente do que o que pensava Freud - mas as descobertas dos dois significaram uma reviravolta no autoconceito da humanidade comparável ao que significou o heliocentrismo de Copérnico e as sacadas do Galileu. O homem não só não era o centro do Universo conhecido como carregava dentro de si um Universo desconhecido, que mal controlava. Agostinho tinha razão, a curiosidade debilitava o homem. A partir de Copérnico a curiosidade só levara o homem a ir desvendando, pouco a pouco, sua própria precariedade, cada vez mais longe de Deus.
Marx, outro pestilento, tinha proposto o determinismo histórico e a luta de classes como eventuais formadores do Novo Homem, livre da superstição religiosa e de outras tiranias. Suas ideias, e a reação às suas ideias, convulsionaram o mundo. Esta peste se disseminou com violência e foi combatida com sangrias e rezas e no fim - como também é próprio das pestes - amainou. Todas as pestes chegam ao seu máximo e recuam. A Terra há séculos não é o centro do Universo, o que não impede o prestígio crescente da astrologia. O iluminismo do século 18 parecia ser o preâmbulo de um futuro racional e prevaleceu o irracionalismo. O Novo Homem de Marx foi visto pela última vez pulando o muro para Berlim Ocidental. E as teses de Freud e Jung que revolucionariam as relações humanas nunca foram aplicadas nas relações que interessam, a do homem com seus instintos e a dos seus instintos com uma sociedade sadia, e na nossa explicação. Foi, como as outras, uma novidade, ou uma curiosidade, que expirou.
Mas também é próprio das pestes serem reincidentes. Cedo ou tarde virá outra perturbar a paz da ignorância de Santo Agostinho. E passar.

Entrevista sobre novos cursos do Ler para Crescer

Entrevista concedida à jornalista Alessandra Nogueira no programa Cidade Aberta do Canal 21/Net Cidade - Rádio Cultura sobre os novos cursos de formação continuada para professores de Araçatuba e região.

Entrevista sobre novo projeto educacional - parte dois

Entrevista sobre mudanças no projeto educacional da Folha

Entrevista concedida à jornalista Alessandra Nogueira durante o programa Cidade Aberta do Canal 21/Neta Cidade e Rádio Cultura sobre a ampliação do "Folha da Região na Sala de Aula" para "Programa Ler para Crescer".

Entrevista sobre cursos do Ler para Crescer

Entrevista concedida à Alessandra Nogueira no programa Cidade Aberta do Canal 21/Net Cidade e Rádio Cultura sobre os cursos de formação continuada para professores oferecidos pelo Programa Ler para Crescer, que coordeno na Folha da Região.

Entrevista sobre concurso Meu Mundo Melhor

Entrevista concedida à Alessandra Nogueira para o jornal Cidade Aberta do Canal 21/Net Cidade - Rádio Cultura sobre o concurso "Meu Mundo Melhor", que criei dentro do Programa Ler para Crescer da Folha da Região.

Estágio na Rádio Toledo

Há UMA vaga para estagiário no Laboratório de Rádio do UniToledo.

Inscrições
* Até 6 de setembro (terça) das 9h às 11h e das 19h às 22h no NGE (fica no prédio 1, perto da
Secretaria Geral).
* Para se inscrever, é preciso preencher a ficha no NGE e entregar currículo (que mostre as eventuais experiências relacionadas ao jornalismo, seja em emprego ou outros estágios e atividades complementares)

Como é o estágio

De segunda a sexta, das 15h às 18h (são 15 horas semanais). O estagiário desenvolve atividades de produção, coberturas de eventos do UniToledo, reportagem, apresentação etc. O estágio começará no dia 12 de setembro.

Como é a seleção
Será dia 8 de setembro (quinta-feira) às 14h no Laboratório de Rádio. Haverá prova escrita, teste de locução, análise de currículo e entrevista. O resultado sai no dia 9 de setembro (sexta) à noite.

Valor da bolsa
30% de desconto na mensalidade

Semana Estado de Jornalismo

Semana Estado de Jornalismo.
De 20 a 23 de setembro (14h às 17h)
Auditório do jornal O Estado de S. Paulo (em São Paulo)
Perfil de aluno indicado pelo Estadão: “comprometidos com a própria formação, atuantes nas mídias e redes sociais e que eventualmente possam estar postando, de forma jornalística, informações importantes do conteúdo debatido durante evento.”
Haverá apenas esta Semana Estado neste ano.
A opção de concorrer ao prêmio a partir da produção de um texto jornalístico será exclusividade dos alunos que obtiverem 100% de presença no evento. Neste ano serão seis finalistas selecionados, cujos textos serão publicados no site do Estadão e receberão um notebook. O vencedor do Prêmio Santander Jovem Jornalista receberá uma bolsa de estudos para um semestre letivo na Universidade de Navarra, na Espanha, em 2012.